Evangelização e Entretenimento para Jovens Cristãos e Não Cristãos.

Moisés; O Colosso.


Moisés demonstrou a santidade exigida por Deus, mas também provou a maravilhosa graça divina.

A figura de moisés se sobressai no meio da paisagem bíblica como colosso. Apenas os nomes de Jesus e de Davi aparecem mais vezes nas Escrituras do que o dele. Diante disso, a pergunta é: o que o torna tão especial ?

Você poderia pensar em como a mãe de Moisés preservou sua vida, colocando-0 num cesto de vime e deixando que ele flutuasse pelo rio Nilo, onde a filha do faraó o encontrou (Êx 2:1-10). O nome de Moisés relembra o momento em que a princesa o tirou da água: Moisés tem um som parecido com a palavra “tirar”.

Ou você poderia mencionar o fato de ele ter passado os primeiros quarenta anos de sua vida como um privilegiado descendente da realeza, até o dia em que perdeu a cabeça e matou um feitor egípcio que abusara de um escravo hebreu. Quando seu segredo foi descoberto, Moisés fugiu para uma região deserta chamada Midiã (Êx 2:11-15; At 7:23-29).

Ou poderia observar como Moisés passou os quarenta anos seguintes de sua vida na escola do deserto de Deus, recebendo um tipo de educação bastante diferente daquele que desfrutara no palácio do faraó. Casou-se com uma moça da região e iniciou uma família, longe da terra de sua infância (Êx 2:21-22).

Ou talvez você se lembre do “incidente da sarça ardente”, quando Moisés recebeu uma ordem pessoal de Deus para resgatar os israelitas (Êx 3:1-4:17).

Mais uma vez, pode ser que você se recorde de como o Senhor usou Moisés para enviar dez temíveis pragas sobre o Egito para convencer o faraó a deixar seu povo ir (Êx 5:1-12:50); ou como ele segurou sua vara sobre o mar vermelho mediante a ordem de abrir ” um caminho pelo mar” (Is 43:16); ou como entregou a sua nação as santas leis de Deus (Êx 13:1-20:17).

Todavia, mesmo diante de todos os acontecimentos impressionantes da vida de Moisés, não devemos nos esquecer de que ele era humano. Era comum ele se cansar de seu papel e, repetidas vezes, ficou aborrecido com a reclamação constante de seus compatriotas (cf. Êx 5:22; 14:11-12; 15:24-25; 16:2-3; 17:2-4).

Um dia esse reverenciado legislador – que insistira com seu povo para que obedecesse a Deus de todo o coração e que frequentemente os lembrava das consequências de não fazê-lo – desobedeceu a Deus. O senhor disse a Moisés: “fale àquela rocha, e ela verterá água”. Mas Moisés, cansado da rebelião constante dos israelitas, bateu na rocha com sua vara, num flagrante ataque de nervos. A água saiu da rocha, aliviando a sede do povo. Mas Moisés teve de viver com a consequência. “Como vocês não confiaram em mim para honrar minha santidade à vista dos israelitas”, disse o Senhor, ” Vocês não conduzirão esta comunidade para a terra que lhes dou” (Nm 20:12). Moisés morreu com a idade de 120 anos, pouco antes das fronteiras de Canaã (Dt 34:7).

Contudo sua história não termina aqui. Moisés demonstrou a santidade exigida por Deus, mas também provou a maravilhosa graça divina. Séculos depois, um Moisés vivo de verdade entrou na terra prometida – quando ele o profeta Elias trouxeram a Jesus um toque do céu, pouco antes de nosso Salvador iniciar sua marcha para a cruz (Mc 9:2-4).

Colossal ? Sem dúvida. Mas Moisés alegremente apontaria para o verdadeiro colosso: a misericórdia e o amor ilimitados de Deus.

É impossível ser maior que o amor de Deus.

Compartilhe:

Artigos Relacionados: