Evangelização e Entretenimento para Jovens Cristãos e Não Cristãos.

Estado dos EUA pode adotar a Bíblia como seu livro oficial.

Um deputado republicano do estado do Arkansas apresentou um projeto de lei para fazer da Bíblia   o livro oficial do estado.

O deputado Dwight Tosh, de Jonesboro, apresentou o projeto de lei 1047 na última segunda-feira (6), e a Comissão de Assuntos Legislativos e Militares aprovou a proposta na última quarta-feira (8).

“Entendendo que a Bíblia é considerada por muitos como um livro que traz consigo a verdade, e que o sistema de leis contido na Bíblia constitui a base sobre a qual nossa civilização moderna é estruturada […], agora, resolva-se que […] a Câmara dos Deputados apoia a nomeação da Bíblia, publicada em qualquer versão reconhecida, como o livro oficial do Estado de Arkansas”, diz parte do texto do projeto.

Arkansas tem um número de símbolos estaduais, incluindo um pássaro, uma flor de maçã e o cervo de cauda branca, mas atualmente nenhum livro foi definido como o oficial do Estado.

A reação pública à proposta, que agora se dirige à plenária, se divide entre aprovações e reprovações.

“Seria maravilhoso! Um verdadeiro livro para viver. Palavras que estão vivas, que geram vida e cura, e principalmente a salvação”, escreveu um cidadão nas redes sociais ao comentar o projeto de lei.

“Sim. Isto tmabém deve ser ensinado nas escolas. Quando eu estava na escola, tínhamos duas senhoras missionárias que vinham uma vez por mês e nos ensinavam sobre a Bíblia. Se você tivesse seu versículo da Bíblia memorizado, [você] ganhava uma pequena Bíblia dos Gideões. Nenhuma criança daquelas turmas causou problemas. Todas aprenderam bem sobre o respeito”, disse outro cidadão.

Já outros têm reprovado a iniciativa, afirmando que ela é completamente desnecessária.

“Por que precisamos ter a Bíblia como nosso livro oficial do estado? Por que devemos suscitar uma controvérsia desnecessária?”, perguntou outro cidadão, comentando a notícia. “Cristãos e judeus sempre valorizarão a Bíblia. Alguns odiarão sempre a menção dela. O estado do Arkansas não precisa de um livro estadual”.

“[A Bíblia] não tem nada a ver com o governo. Mantenha-a fora disso! Mantenham a Igreja e o Estado separados, ou então vocês não são americanos”, protestou um dos cidadãos.
Histórico
Como relatado anteriormente, em 1983, o presidente Ronald Reagan declarou que aquele seria oficialmente o “Ano da Bíblia”.

“Muitos de nossos maiores líderes nacionais – entre eles os presidentes Washington, Jackson, Lincoln e Wilson – reconheceram a influência da Bíblia no desenvolvimento de nosso país”, afirmou. “O aclamado Andrew Jackson referiu-se à Bíblia como nada menos que ‘a pedra sobre a qual repousa nossa república”.

“Hoje nossa amada América e, de fato, o mundo, está enfrentando uma década de enorme desafio”, continuou Reagan. “Não poderia haver momento mais apropriado do que agora para refletir com gratidão, humildade e urgência sobre a sabedoria revelada nas Escrituras que Abraham Lincoln chamou de ‘o melhor presente que Deus já deu ao homem… Sem ela, não poderíamos saber a diferença entre certo e errado”.

FONTE: GUIAME,christian news.

Compartilhe:

Artigos Relacionados: