Evangelização e Entretenimento para Jovens Cristãos e Não Cristãos.

Ela morreu durante o parto de sua filha, mas um milagre surpreendente aconteceu.


Melanie e Doug pritchard decidiram então ter o seu segundo filho, às 39 semanas de gestação de sua segunda filha, a professora universitária começou a sentir grandes contrações. Correram para o hospital mais próximo, o caso ocorreu no estado de Arizona nos Estados Unidos, já no hospital após verificar a posição do bebê Melanie começou a sentir tonturas, náuseas e teve um desmaio.

A enfermeira foi chegar os batimentos cardíacos e a pressão arterial, quando se deu conta estavam a zero. Os batimentos cardíacos e a pressão do bebê que ainda não havia nascido também começaram a cair rapidamente, então foi emitido o “Código Azul” declarando Melanie clinicamente morta, e com o bebê ainda dentro de seu corpo a correria então começou para salvar a criança.

Doug, no mesmo instante, começou a orar para que sua esposa e filha fossem salvas de alguma forma. Ele conta que nunca havia se sentido tão desesperado e com medo em toda sua vida. Logo em seguida, ele começou a contatar a família e amigos implorando para que orassem pela esposa e filha. Família e amigos compartilharam os pedidos de oração nas mídias sociais. Enquanto os pedidos de oração cresciam viralmente e uma pequena multidão se aglomerava no hospital.

Os médicos conseguiram fazer o parto, mas a professora ainda estava morta, começaram então um processo de reanimação. Até que um médico percebeu uma batida cardíaca falha e fraca, ainda sem pulso. Eles recomeçaram imediatamente o ressuscitamento que durou mais de 90 minutos, até que a pressão voltou a subir lentamente.

Doug foi até a cama onde Melanie estava sendo mantida por aparelhos, segurou sua mão e disse:

“Eu amo você. Eu sempre lhe amarei. Nossos filhos Brady e Gabriella são maravilhosos e amam você. Se você tiver em si mesma qualquer centelha para lutar, então lute. Independentemente de minhas esperanças, prometa-me que você seguirá seu anjo da guarda onde quer que ele lhe guie. Onde ele lhe guiar, será onde Deus precisa de você”.

Necessitando de uma cirurgia complicada pois, o coração funcionava somente a 5% de sua capacidade, sendo o mínimo de 55 a 65% para sobrevivência. Devido à parada cardíaca, os pulmões falhavam e ela era mantida por um ventilador que supria 100% de sua respiração.

O milagre

A cirurgia foi um sucesso e Melanie, miraculosamente, sobreviveu. O sacerdote que os casou anos antes fez uma visita ao hospital e relembrou a Doug, “Isso é ao que você disse ‘sim’ no casamento: Na alegria e na tristeza, na saúde e na doença”.

Nas 24 horas seguintes à cirurgia, ela começou a respirar melhor e foi retirada do ventilador artificial. Totalmente consciente, ela abriu os olhos e pediu para ver o marido e a filha. As enfermeiras trouxeram Gabriella e ela foi capaz de segurar a filha pela primeira vez, após mais de 48 horas de sua cesariana.

Após este momento, a recuperação de Melanie chegou a surpreender toda a equipe médica do hospital.

Ela deixou o hospital 6 dias após aquela emergência, sua recuperação foi total durante as semanas seguintes, sem quaisquer sequelas.

Em 2014 em um artigo escrito por ela mesma, após 4 anos, ela compartilhou  um testemunho:

“Não há um dia em que eu não agradeça a Deus por me permitir sobreviver e me inspirar a escolher um hospital a favor da vida. Eu agradeço a Deus por permitir que Doug, Brady, Gabriella e eu fôssemos uma família novamente e por me dar a oportunidade de testemunhar sobre Sua infinita graça, misericórdia e amor por cada um de nós. Deus tem o poder de nos tirar da escuridão, mesmo do vale da morte, e nos trazer de volta à luz, e por isso, eu O agradeço!”

 

FONTE: familia.

Compartilhe:

Artigos Relacionados: