Evangelização e Entretenimento para Jovens Cristãos e Não Cristãos.

5 Mitos que você tem sobre Pastores

Por muitas vezes colocamos os nossos Pastores como se eles vivessem em outro mundo, como se fossem inalcançáveis, é valido lembrar que eles vivem no mesmo mundo que o nosso, que passam pelos mesmos problemas que os nossos, então segue abaixo a lista de alguns mitos sobre os nossos pastores.

 

1 – ELES NÃO LUTAM CONTRA O  PECADO.

Os pastores enfrentam tentações como qualquer outro cristão; A dificuldade adicional para os ministros é a pressão de ser um exemplo espiritual para todos, com certeza levar uma vida como exemplo para a sociedade, todos os dias, tem que ter um preparo maior e um alto controle muito grande. Em uma pesquisa , 50 por cento dos pastores relataram usar pornografia como um analgésico e 38 por cento admitiram ter relações sexuais inapropriadas com pessoas da igreja.(1 Timóteo 1: 18-19 )

2 – ESTUDAM A BÍBLIA FACILMENTE.

Estudar, interpretar e pregar a Palavra de Deus é uma tarefa assustadora; Exige tempo para oração, pesquisa e receptividade para a liderança do Espírito Santo. Preparar um sermão segue uma semana exigente de resolução e administração de conflitos – não exatamente atividades criativas. O horário de estudo e oração de um pastor varia de 30 a 60 por cento da semana de um pastor. Isso não parece fácil. (2 Timóteo 2:15 , 1 Timóteo 4:13 )

3 – ELES NUNCA SE SENTEM RESSENTIDOS, CANSADOS, IRRITADOS OU DESENCORAJADOS.

Em um estudo do Instituto Schaffer , 70 por cento dos pastores regularmente consideram deixar o ministério, devido ao burnout, à saúde emocional ou ao fracasso moral. Na verdade, 91 por cento dos pastores entrevistados experimentaram burnout. Oitenta por cento dos pastores não permanecerão no ministério por mais de 10 anos, e apenas 10% entrarão na aposentadoria de uma posição pastoral. (1 Tessalonicenses 5:12 )

4 – ELES NÃO PRECISAM DE ACONSELHAMENTO OU DE UM LUGAR SEGURO PARA DESABAFAR.

A metade de todos os pastores não tem parceiros de responsabilidade ou conselheiros  com quem desabafar e compartilhar encargos. Embora muitas pessoas ofereçam e desejam ser a confidente de seu pastor, a experiência ensinou pastores (e seus cônjuges) que geralmente não podem confiar nas ofertas. Todo pastor deve ter um conselheiro para si mesmo, e a igreja deve pagar por isso porque beneficia todo o corpo quando um pastor é emocionalmente saudável. (2 Timóteo 4: 9-17 )

5 – ELES NUNCA SE SENTEM HOSTIS, IRRITADOS OU AMARGOS.

Quarenta por cento dos pastores relatam ter pelo menos um conflito sério  com um membro todos os meses. Muitas vezes, o confronto produz fofoca, ataques pessoais e golpes entre membros irritados uns com os outros e em direção ao seu pastor. Oitenta e cinco por cento dos pastores colocam seus funcionários e diáconos  como fonte do seu maior estresse e oposição no ministério. Como um pastor procura amar e liderar as pessoas, o estresse constante do conflito pessoal pode deixá-los lutando com raiva e amargura. (Tito 2: 6 , 14)

 

FONTE: IBELIEVE

Compartilhe:

Artigos Relacionados: